Buscar
  • Psi Danielle Bevilaqua

10 Dicas para ajudar a escolher seu psicoterapeuta


Chegou um momento de sua vida que você decidiu fazer psicoterapia. Afinal ter problemas todos temos, mas se propor a resolve-los da forma mais saudável possível são poucos que se dispõem. Então vai algumas dicas para lhe ajudar a escolher.


1. Verifique se ele tem inscrição profissional ou alguma restrição ética no Conselho Regional de Psicologia. Aqui em São Paulo o site é http://www.crpsp.org.br/portal/psicologo/registropf.aspx.


2. Procure saber a respeito da especialidade dele e suas vivências profissionais. Idade avançada não é igual a um bom atendimento. Ele poder ter feito faculdade mais velho e ser recém formado. E, também, um psicólogo não irá lhe passar conselhos de vida como um amigo.


3. Procure saber se ele mantém seus estudos. Tempo de formado não é igual a um bom atendimento. O profissional pode estar defasado!


4. Um bom profissional pode falar a respeito de suas vivências. Porém só acontece quando tem sentido e auxílio no atendimento. Não no sentido de conselhos. Afinal, você não está pagando um amigo e sim um atendimento profissional.


5. Indicação de algum amigo ou profissional da área, geralmente, é uma boa maneira de uma referência do profissional.


6. Perceba se o profissional está atento a sua fala. Um profissional atencioso não atende chamadas telefônica na sessão, por exemplo.


7. O interessante é que você se sinta à vontade. Mesmo sendo um bom profissional você pode não ter uma certa "sintonia". Então, não se acanhe em procurar outro!


8. Por melhor que seja a indicação e referências dadas não é interessante dividir o terapeuta com irmão, namorado ou outra pessoa que você tenha intimidade. Pode lhe causar um certo medo de suas falas vazarem para seus amigos e isto vai dificultar a sua entrega ao tratamento.


9. Então, se você ouve seu terapeuta falando de seus pacientes em locais públicos, para outros pacientes não continue. Uma regrinha básica para um bom atendimento é o sigilo!


10. Escolha também pela localização do consultório e valor da sessão. Se for muito fora dos locais de seu cotidiano ou um valor fora do seu orçamento pode dificultar o prosseguimento do tratamento. Tentar negociar o valor pode ser uma opção.

0 visualização

© 2018 by Danielle Bevilaqua, Psicóloga & Psicanalista